A Concepção Clássica da Engenharia de Produção

De acordo com sua definição clássica, adotada tanto pelo American Institute of Industrial Engineering (A.I.I.E.) como pela Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO),

Compete à Engenharia de Produção o projeto, a implantação, a melhoria e a manutenção de sistemas produtivos integrados, envolvendo homens, materiais e equipamentos, especificar, prever e avaliar os resultados obtidos destes sistemas, recorrendo a conhecimentos especializados da matemática, física, ciências sociais, conjuntamente com os princípios e métodos de análise e projeto da engenharia”.

Esta definição ressalta a multidisciplinaridade da Engenharia de Produção, porém, não explicita suficientemente qual é o objeto de estudo próprio à Engenharia de Produção, pois prevalece a idéia da engenharia como ciência “aplicada”, cujos problemas são resolvidos recorrendo-se aos conhecimentos das ciências “puras”, das ciências sociais e aos métodos da engenharia. Esta ênfase na administração e em métodos matemáticos obscurece a importância de outros conteúdos positivos propiciados pelas ciências sociais, mas especificamente pela história da ciência e da técnica, pela filosofia da técnica, pela antropologia econômica, pelas análises econômicas do processo de trabalho e do processo de produção, pela história do trabalho e da própria produção, que são necessários para se desenvolver uma teoria substantiva da produção. Esses conteúdos, a nosso ver, constituem, além de seu caráter multidisciplinar, uma das especificidades da Engenharia de Produção diante das outras engenharias, que determina seus conteúdos programáticos e, em última análise, fundamenta a criação de um novo curso, cuja caracterização não pode ser obtida unicamente através de ênfases.